Assine

Feira da Cereja & Companhia

100 expositores mostram a qualidade do que se colhe em Alfândega da Fé

Durante três dias a cereja da melhor qualidade é o centro de todas as atenções em Alfândega da Fé. Apesar da quebra de produção na ordem dos 50 por cento registada este ano, a qualidade do fruto é garantida e o preço de cinco euros por quilo é “apetecível” para os milhares de visitantes que vão passar por aquela vila até ao fim do dia 9 de junho. Na centena de expositores podem ainda adquirir enchidos, queijos e frutos secos.

Cerejas de maior calibre são as mais apetecíveis. Foto © Filipe Ribeiro

“Tire, tire… pode provar”, atira Luciana Silva, enquanto chama os clientes mais curiosos. A cereja, em forma de coração e bastante carnuda, “é um regalo para os olhos”, indica um deles, enquanto carrega uma caixa de dois quilos. “Cada caixa é dez euros”, aponta a filha de produtores do concelho de Macedo de Cavaleiros, na aldeia de Bornes.

A quebra de produção afetou a quantidade, mas não a qualidade. Para a Feira da Cereja & Companhia em Alfândega da Fé, os dez produtores da região selecionaram os frutos de melhor calibre e estado de conservação. “Há três, quatro semanas caiu muita pedra na nossa zona e a cereja rachou. Também não houve muito calor, o que ajuda a ganhar doçura. Para ela vir assim, com este aspeto, tem de ser toda escolhida”, explica Luciana ao 7MONTES.

“Só agora de manhã é que estive a repor mais caixas, porque ontem vendi tudo”, conta Isabel Valença, de Lamas, também no concelho de Macedo de Cavaleiros, que além de cerejas, também vende queijo de ovelha da Serra de Bornes.

Produção registou quebras neste ano. Foto © Filipe Ribeiro

Ao lado, na banca de Armando Morais, produtor local, de Sambede, a cereja ocupa apenas uma pequena parte do expositor. Os frutos secos ganham, aqui, maior destaque, mas também há azeite e mel do concelho de Alfândega da Fé. A cereja foi, no entanto, o que o trouxe a este certame. “A minha, por acaso, saiu boa”, refere ao 7MONTES Armando, que lamenta o excesso de quantidade por árvore que prejudica o calibre. “Uma cerejeira com menos carga tem cerejas maiores”, esclarece, “são as que o cliente mais procura”, finaliza.

Apesar das condições meteorológicas, em que registaram chuvas tardias, que “não beneficiaram o fruto”, a vice-presidente da autarquia, em declarações à Rádio Brigantia, fala de “uma disponibilidade próxima das feiras anteriores, cerca de sete ou oito toneladas”.

Do programa, além dos expositores de cereja e de outros produtos gastronómicos, constam ainda várias atividades e animação, como apresentações, oficinas de arte com artesões que pertencem à Rota Saber-Fazer, Freestyle da Cereja, o Grande Prémio de Atletismo das Cerejas, o concurso da Melhor Cereja de Alfândega da Fé. Destaque, também, para o II Grande Encontro de Stand-Up Paddle & Caiaques, no sábado, e a apresentação do Parque Micológico de Alvazinhos com Showcooking, no domingo.

Animação garantida para o fim de semana. Foto © Filipe Ribeiro

7MONTES é financiado pelo programa Local Media for Democracy do Journalismfund Europe www.journalismfund.eu

Escreva à redação

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!