Assine

Igrejas evangélicas

Demas Sadoque: o missionário que veio para Bragança

O culto na Igreja Baptista de Bragança. Foto © DR
O culto na Igreja Baptista de Bragança. Foto © DR

A comunidade evangélica em Bragança tem crescido com a chegada de imigrantes, quer com aqueles que procuram trabalho quer com os que vêm estudar para as diferentes escolas do distrito. Foi neste contexto que Demas Sadoque, de nacionalidade brasileira e formado em Teologia, veio, em novembro de 2022, para Portugal. Veio para estudar educação social, mas também para “desenvolver um trabalho junto da comunidade evangélica”.

“O nosso objetivo é desenvolver um trabalho junto dos estudantes do Instituto Politécnico de Bragança (IPB). Para isso, a ideia inicial consistiu em abrir um café onde os estudantes pudessem aprender princípios básicos sobre a Bíblia, Cristo e a esperança”, conta Demas ao 7MONTES, expondo o seu lado de agente missionário. No Brasil estava integrado na comunidade da Igreja Baptista. Hoje, pertence à Igreja Baptista de Bragança, uma “missão” da Primeira Igreja Baptista de Vila Real.

Em Bragança, o culto começou a ser celebrado em setembro de 2022, em casa de dois irmãos. Demas integrou-se no trabalho pastoral em dezembro do mesmo ano: “Era um grupo relativamente pequeno, mas, com a nossa ajuda e com outros apoios, começámos a desenvolver este nosso trabalho dentro do IPB”.

Esta “identificação de pessoas” levou aquele espaço inicial a tornar-se pequeno. Atualmente, no espaço próprio da congregação chegam a estar reunidas cerca de 40 pessoas. Além de se “juntarem” e “adorarem ao Senhor”, desenvolvem ao longo da semana outro tipo de atividades: reuniões, culto, orações, escola bíblica e a celebração da Ceia do Senhor tudo ali funciona.

O pastor Demas detalha os encontros da comunidade: “Procuramos proclamar as verdades do Evangelho. Às segundas-feiras, às 20h00, temos reunião só com homens e às terças-feiras, à mesma hora, é a vez das mulheres. Às quintas-feiras, também às 20h00, temos o culto de oração, onde agradecemos a Deus as coisas boas da nossa vida, mas também as nossas lutas e desafios. E, no domingo, temos uma escola bíblica, das 9h00 às 10h00, onde aprendemos sobre a Bíblia, onde estudamos, mais pausadamente e aprofundadamente, a pregação de domingo. Por fim, das 10h30 até perto do 12h00, temos o nosso culto semanal”.

Apesar do crescimento em número, a congregação transporta consigo vários desafios. Um deles, talvez o maior, é o facto do culto “estar muito baseado em pessoas oriundas do Brasil” o que não favorece a pretensão de “alcançar os portugueses e as pessoas de outras nacionalidades”. O desafio apresenta “dificuldades” porque, reconhece Demas, “não é fácil ‘traduzir’ o Evangelho da cultura brasileira para a cultura portuguesa. De facto, esta ‘tradução’ entre “duas línguas idênticas, pode dar origem a uma falha de comunicação, porque há muita gente portuguesa que pensa que entende tudo o que o brasileiro diz ou vice-versa”. E os mal-entendidos nascem facilmente.

7MONTES é financiado pelo programa Local Media for Democracy do Journalismfund Europe www.journalismfund.eu

Escreva à redação

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!