Assine

Bragança

Emídio Garcia: agrupamento tem 162 alunos a aprender português

Agrupamento de Escolas Emídio Garcia, em Bragança. Foto DR

O Agrupamento de Escolas Emídio Garcia, em Bragança, registou no ano letivo 2023/24, um forte fluxo de alunos a frequentarem o curso de Português – Língua de Acolhimento. Ao todo são 162 alunos, vindos de 32 países, e estudando no ensino secundário, profissional e superior, mas para aprenderem o português convergem todos para aquele agrupamento de escolas.

A maioria dos alunos que frequentam o curso de Português – Língua de Acolhimento estuda no Instituto Politécnico de Bragança e são sobretudo jovens que escolhem Bragança para estudar, refugiados que vêm de casas de acolhimento e de associações de solidariedade social, ou ainda filhos e familiares de empregados de empresas que vêm trabalhar para o distrito, trazendo a família.

O curso de Português – Língua de Acolhimento está dividido em dois semestres, começando em setembro e terminando em julho. Ao todo, são 6 turmas. Algumas das pessoas que estão nestas escolas a aprender português são investigadores, cientista e doutorandos.

Fátima Castanheira, a representante do agrupamento que falou ao 7MONTES, descreve como eles chegam ao contacto com a escola: “As turmas recebem estudantes de várias formas, oriundos de instituições parceiras. Temos alunos que chegam através do Centro Regional da Segurança Social, que são sobretudo refugiados, requerentes de asilo e que precisam de proteção internacional.” Há ainda casos em que esses refugiados vêm através do Centro Local de Apoio ao Imigrante (CLAIM) e da Cáritas Diocesana de Bragança, bem como da Cruz Vermelha Portuguesa. Além disso, também recebem vítimas de violência doméstica, oriundas da Associação de Socorros Mútuos dos Artistas de Bragança (ASMAB) e da Casa de Abrigo Internacional.

Segundo os dados recolhidos e disponibilizados por Fátima Castanheira, é possível perceber que o maior contingente de alunos é tunisino (33), seguido dos argelinos (31) e timorenses (14). Ainda na casa dos dois dígitos, encontram-se estudantes gambianos e colombianos (10). Para se perceber a diversidade de origens, vale a pena referir a totalidade dos países de que são naturais os estudantes de língua portuguesa: Marrocos (8), Índia e Guiné-Bissau (5), Cazaquistão, Ucrânia e Venezuela (4), Argentina, Sudão e Turquia (3), Senegal, Rússia, Equador, Egito e China (2) e Afeganistão, Azerbaijão, Bangladesh, Bielorrússia, Camarões, Filipinas, Itália, Libéria, Nigéria, República Dominicana, Uganda e Vietname (1) completam os países representados nessas turmas. Os que já estão no mercado de trabalho ocupam, sobretudo, lugares na restauração, na construção civil e no próprio IPB.

7MONTES é financiado pelo programa Local Media for Democracy do Journalismfund Europe www.journalismfund.eu

Escreva à redação

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!