Assine

Investigação do Aquavalor

Estudo comprova eficácia terapêutica das águas das Termas de Chaves

Edifício principal das Termas de Chaves. Foto © DR

Os tratamentos com águas termais flavienses são “uma alternativa natural eficaz para o tratamento de patologias músculo-esqueléticas” conclui um estudo realizado pelo AquaValor – Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia da Água, laboratório colaborativo sem fins lucrativos com sede em Chaves.

A investigação, realizada junto de pacientes que seguiram planos de tratamento nas Termas de Chaves, dá a conhecer que a “diminuição do estado inflamatório, redução da dor e melhoria da qualidade de vida, do sono e da autoperceção do estado de saúde são algumas das mudanças apontadas pelos utentes como resultantes dos tratamentos termais”.

De acordo com Maria José Alves, coordenadora do estudo e diretora executiva do AquaValor, “esta investigação distingue-se pela sua abordagem multidimensional, através da monitorização dos doentes com patologias músculo-esqueléticas, antes, durante e após os tratamentos termais, utilizando biomarcadores, sensorização (bandas digitais), e escalas de autoperceção do estado de saúde, qualidade do sono e qualidade de vida”.

Ao longo de 14 dias, pacientes diagnosticados com hérnias discais e/ou osteofitose, tradicionalmente conhecida como bicos de papagaio, foram acompanhados por técnicos do laboratório colaborativo. “Voluntários com estas patologias incapacitantes realizaram tratamentos diários de aproximadamente 90 minutos, com terapias como banho de imersão a 36º, hidrocinesioterapia, que consiste na realização de exercícios com um terapeuta na piscina, e duche com massagem”, informou o Aquavalor, em comunicado.

Brigite Gonçalves, administradora das Termas de Chaves, afirma, com satisfação, que os resultados obtidos com esta investigação “são bastantes promissores e confirmam a procura de milhares de termalistas que, anualmente, escolhem este balneário para tratar diversas patologias como artrites, fibromialgia e dores lombares”.

As águas termais de Chaves, que brotam a 76º Celcius, uma das mais quentes da Península Ibérica, “possuem propriedades únicas”. São bicarbonatadas, sódicas, mesomineralizadas e gasocarbónicas. Refira-se que as patologias músculo-esqueléticas afetam cerca de 17,1 mil milhões de indivíduos, de todas as idades, em todo o mundo.

O Aquavalor, criado em 2018, foi desenvolvido pela Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Tâmega e Barroso, em parceira com o Instituto Politécnico de Bragança (IPB). É composto por quatro laboratórios e conta com uma equipa de 14 investigadores.

7MONTES é financiado pelo programa Local Media for Democracy do Journalismfund Europe www.journalismfund.eu

Escreva à redação

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!