Assine

Bloguista

Henrique Martins: lisboeta com coração transmontano e brigantino

Memórias e outras coisas… BRAGANÇA. Assim se chamam o blogue e a página de Facebook onde Henrique Martins, 67 anos, funcionário da Administração Local no Município de Bragança há 43 anos, prestes a reformar-se, vai partilhando a história, as memórias e os acontecimentos do distrito.

Henrique Martins, a cara por detrás do blog e do Facebook. Foto © DR
Henrique Martins, a cara por detrás do blogue e do Facebook. Foto © DR

Henrique nasceu em Lisboa, mas, por motivos familiares e porque o clima era propício à doença do pai, com apenas 4 anos veio com os pais para Bragança. “Só sou de Lisboa no Cartão de Cidadão, já que o coração sempre foi e é transmontano e sobretudo brigantino”.

Adepto convicto desde a primeira hora das novas tecnologias e um eterno saudosista, pensou em criar um espaço onde pudesse congregar a “rapaziada” do seu tempo do Liceu Nacional de Bragança, do 5º Ano da turma L de 1973, uma turma que o marcou pela “amizade, cumplicidade e interesses comuns”.

E em 2010 nasce o blogue MEMÓRIAS…e outras coisas…BRAGANÇA . “O blog foi construído praticamente linha a linha, campo a campo, sem utilizar nenhum modelo pré-concebido, tal como ainda hoje se mantém. Não consigo abandonar o layout/design que o blogue apresenta”, reconhece Henrique.

As primeiras publicações diziam respeito aos tempos do liceu e desde o início solicitava colaboração dos ex-colegas, se não através de histórias, pelo menos através de palavras de apoio, pois “sozinho não deveria ir muito longe”.

Com o passar dos anos, Henrique chegou a ponderar terminar com o blogue. Mas o Facebook foi a tábua de salvação que lhe permitiu alargar o âmbito e sobretudo os objetivos do blogue. “O grupo no Facebook permite uma maior interação entre os membros, foi uma ideia que a minha filha me deu e que resolvi experimentar. Como o grupo ainda se mantém, tenho de considerar o passo positivo pese embora as contrariedades e dificuldades em administrar um grupo público/aberto já com alguma dimensão”, refere.

Henrique sentiu-se na obrigação de aproveitar os recursos que a internet e, em particular, as redes sociais proporcionam, para ser mais um a “divulgar pela diáspora a riqueza do património material e imaterial” do território que abraçou. As centenas, ou milhares, de mensagens e mails que recebe, mostram o resultado positivo das opções que foi tomando.

A tarefa não tem sido fácil. Mesmo não sendo o autor de todos os textos que publica – o que segundo ele, lhe retira um pouco de “mérito” –, dá muito trabalho fazer a recolha e transcrever palavra a palavra os textos de livros e enciclopédias.

“É verdade que ‘quem corre por gosto não cansa’. Claro que também vou escrevendo uns textos originais, normalmente são muito bem recebidos pelas pessoas”, refere Henrique.

Quer o blogue, quer a página de Facebook contam com um grupo de colaboradores: escritores, poetas, pensadores e contadores de histórias têm “uma importância fundamental” que Henrique não deixa de agradecer e salientar.

“As publicações sobre as tradições locais, as lendas, as festividades, os sítios e as fotos antigas são as preferidas dos seguidores e são elas que servem de mote a interessantes e afetuosas conversas onde o ‘matar de saudades” ocupa lugar privilegiado”, conta.

O blogue tem diariamente entre 3 000 e 10 000 visitas, e acumula 7 811 681 visitantes, 2 099 comentários, 338 seguidores e 53 157 publicações. O grupo do Facebook tem mais de 20 000 membros.

“É significativo, se atendermos ao facto que qualquer pessoa pode ver, publicar ou comentar (se tiver sido aceite), mesmo sem pertencer aos membros”, comenta Henrique Martins para quem “são todos bem-vindos se vierem por bem”.

De longe vêm visitas não apenas de emigrantes, mas também de pessoas de fora da região que por vários motivos gostam de Trás-os-Montes. Uns porque têm laços familiares, radicados principalmente no Brasil, outros porque um dia visitaram Bragança, onde deixaram “afetos e amizades”.

Quanto ao futuro, Henrique transmite a seguinte mensagem: “Será um dia de cada vez. Com a aposentação a breve trecho, logo verei o que o futuro proporciona. O associativismo sempre fez parte da minha vida. A obrigação que sinto de dar continuidade a este projeto é muito forte. Não quero desiludir quem conta comigo, quem conta com o blogue ou com o Grupo do Facebook. Veremos o que o futuro reserva…”.

A imagem do blog e do grupo do Facebook. Foto © DR
A imagem do blogue e do grupo do Facebook. Foto © DR

Escreva à redação

Subscribe To Our Newsletter

Subscribe to our email newsletter today to receive updates on the latest news, tutorials and special offers!